Poemas

Meninas no plural: a gravidez na adolescência

Meninas no plural: a gravidez na adolescência. Esse foi um dos meus primeiros poemas que escrevi em minha adolescência. Este tema sempre me chamou atenção por ver várias jovens grávidas no ensino médio, eu me questionava como esta problemática era vista pela mãe, pai, familiares e a própria sociedade.

Meninas no Plural é um poema que reflete um problema muito sério em nossa sociedade, a saber, a gravidez na adolescência. Afinal, o número de jovens que engravidam na adolescência se torna cada vez mais assustador.

Por mais que se fale em educação sexual nas escolas, por mais que se fale em políticas publicas e também tendo em vista a distribuição de preservativos em postos de saúde, os jovens tendem a se relacionar de forma insegura.

Não estamos generalizando que todos os jovens pratiquem sexo sem o mínimo de segurança, ou seja, sem o preservativo, o que destacamos é a questão de termos um numero elevado de jovens mães e jovens pais.

Não pesquisei nenhum dado estatístico para apresentar nesta postagem, pois o intuito do mesmo é trabalhar a problemática da gravidez na adolescência em forma de poema. Porém, sentimos a necessidade desta contextualização inicial para que possamos adentrar propriamente no poema.

Contudo, o blog irá fazer uma postagem especifica sobre o tema apresentando dados estatísticos, fazendo do blog um espaço mais fidedigno quando falamos de aumento de jovens sendo mãe na adolescência.

Mas vamos ao poema. Veja abaixo o poema e sua explicação acerca do mesmo.

 

Ela é uma menina

Que gerou outra menina.

Foi mãe jovem!

Sem saber o que fazer com a menina,

A menina pensou em entregar a menina.

 

A mãe da menina resmungou

— Você é uma menina!

O que vai fazer com esta menina?

 

A menina não se importou,

A menina entregou sua menina.

A menina não quer deixar de ser menina.

Quer brincar, pular e se esconder como uma menina.

 

A menina se arrumou como uma menina

E deixou sua menina com outra menina.

E a menina que vai cuidar da menina

É a mãe da menina.

 

Explicação do poema

 

Destacamos que a palavra “menina” se repete várias vezes de forma proposital. Afinal, o que fiz foi apresentar uma cronologia de mães jovens.

Temos no primeiro verso uma relação familiar de duas pessoas, sendo que uma pensou em entregar a outra, ou seja, sua prole por ter sido mãe jovem. Afinal, ela não sabia o que fazer com sua filha.  

No segundo verso nós temos a mãe dessa jovem que engravidou na adolescência falando com sua filha, a mesma questiona o que ela irá fazer com a criança, ou seja, qual será o destino de sua neta.

No terceiro verso nós podemos identificar que a jovem mãe não se importa com sua filha, sendo que a mesma entrega para outra pessoa a sua filha. Afinal, a jovem adolescente só quer viver sua vida não tendo ninguém que a faça abandonar seus divertimentos do dia a dia.

No quarto verso é que podemos identificar com quem esta jovem deixou sua filha, pois o mesmo é claro quando apresenta que a jovem se arruma para sair e se divertir. Por conseguinte, esta jovem mãe deixou sua criança com sua mãe que se questionava o que a filha iria fazer com a sua neta.

Contudo, vale ressaltar que a mãe dessa jovem também foi mãe na adolescência. Afinal, todas são meninas. Logo, um ciclo de gravidez na adolescência teve inicio, agora nos questionamos como será a criação da criança que nasceu tendo duas pessoas como exemplo estando nesta problemática. Será que esta criança irá romper este ciclo ou irá continua-lo?